As Indústrias mais Impactadas pelo COVID no Brasil

          Entre os dias 1º e 25 do mês de março de 2020, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) realizou uma pesquisa com 3.363 empresas em que 43% já se sentiam afetadas pela pandemia. No segmento industrial, o instituto contabilizou as indústrias de petróleo e biocombustíveis (83,1%) e química (61,4%) como as mais afetadas.

 

 

          Em relatório apresentado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), em maio de 2020, foi demonstrado que, 7 a cada 10, indústrias apresentaram queda no faturamento com uma das principais consequências da pandemia do COVID-19, a inadimplência (45%) e o cancelamento de pedidos (44%) também foram apontados pelos entrevistados.  

 

 

          Também houve uma grande queda da produção, em que, 76% das 1.740 empresas entrevistadas entre 1º e 14 de abril, reduziram ou paralisaram a  produção por falta de insumos, matérias primas e embalagens. 59% empresário informaram que estão com dificuldade para cumprir o pagamento, 55% estão com dificuldade de capital de giro e somente 15% tiveram de ocorrer a demissão de seus funcionários.

 

 

          Até abril de 2020, 91% das empresas relataram impactos negativos, sendo os principais setores a possuírem queda intensa: vestuário (82%), calçado (79%), móveis (76%), impressão e reprodução (65%) e têxteis (60%) – a indústria da transformação foi uma das mais afetadas, com 71% em comparação a 67% da indústria de construção e 51% da indústria extrativa.

 

 

          Em setembro de 2020, a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Produtividade do Ministério da Economia (Sepec/ME), divulgou a lista dos setores mais afetados pela pandemia de COVID-19.

 

 

          1. Atividades artísticas, criativas e de espetáculos;

 

          2. Transporte aéreo;

 

          3. Transporte ferroviário e metroferroviário de passageiros;

 

          4. Transporte interestadual e intermunicipal de passageiros;

 

          5. Transporte público urbano;

 

          6. Serviços de alojamento;

 

          7. Serviços de alimentação;

 

          8. Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias;

 

          9. Fabricação de calçados e de artefatos de couro;

 

          10. Comércio de veículos, peças e motocicletas.

fonte.

 

 

Retomada da Economia

 

            Na terceira edição da pesquisa “Os brasileiros, a pandemia e o consumo” realizada pela CNI demonstrou que, das 2.010 pessoas entrevistadas, 71% acreditam que a economia demore pelo menos um ano para começar a se recuperar, tendo em vista o ritmo lento das vacinações e o aumento dos casos.

 

 

            Em análise dos dados coletados através da entrevista por telefone, foi constatado que 46% dos participantes tiveram sua renda diminuída ou perdida durante este período.

 

 

            “Só a imunização em massa da população contra a doença recolocará o Brasil no caminho da retomada da economia, do dinamismo do mercado consumidor e na rota dos investimentos. Mais importante, a rápida execução do Plano Nacional de Imunização – respeitando a ordem dos grupos prioritários – permitirá que a população brasileira possa, enfim, contar com a proteção contra essa doença que tem trazido enorme custo humano para o país e o mundo”, afirma Robson Braga de Andrade, presidente da CNI.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Outras Postagens

PCD: Inclusão no mercado detrabalho da logística

          A inclusão social é um debate que vem sendo cada dia mais colocado no centro das organizações, principalmente sobre a inclusão de pessoas com deficiência. O que muitas corporações enxergavam como sendo somente o cumprimento da legislação brasileira, vem mudando.

E-commerce e logística após covid-19

          O vírus da covid-19 transformou o mundo de forma, infelizmente, drástica, fazendo com que muitas empresas se obrigassem a uma readaptação e reinvenção para sobreviver a este período. Mas, como será que o mercado se portará no período pós pandemia? A

A Importância da leitura para crianças

          A infância é uma fase determinante no desenvolvimento de um indivíduo, é quando construímos nossos gostos, iniciamos nossos repertórios de referências e definimos grande parte da nossa personalidade. É exatamente por estar “em construção” que a criança vê o mundo de