E-commerce e logística após covid-19

          O vírus da covid-19 transformou o mundo de forma, infelizmente, drástica, fazendo com que muitas empresas se obrigassem a uma readaptação e reinvenção para sobreviver a este período. Mas, como será que o mercado se portará no período pós pandemia? A resposta está diretamente ligada ao e-commerce.


Novos hábitos


          Com mais da metade da população vacinada com a primeira dose, a normalidade, anterior ao vírus, é algo pouco palpável, para não se dizer totalmente. Essa nova realidade mudou os hábitos e comportamentos de consumo da população, assim como as suas demandas.


          De acordo com indicadores apontados pela MCC-ENET, as compras realizadas pela internet em 2020, tiveram um aumento de 53,83% em relação a 2019 no Brasil, com mais 194 milhões de pedidos realizados. Agora, a tendência é seguir avançando nesse ritmo. A comodidade do e-commerce, realizar a aquisição de diversos itens com apenas um clique, de qualquer lugar, é algo que muitos não vão abandonar.


          Isso não reflete de forma diretamente negativa nos pontos físicos. A experiência de compra presencial não será deixada de lado, mas a expansão do mundo online é algo eminente.


Novas estratégias


          Desta forma, novas estratégias, de embalo, formas de pagamento e envio, surgem para reter estes consumidores que começaram a comprar de forma digital. Outras novas tecnologias, como a implementação da inteligência artificial, vão surgindo como forma de otimizar e automatizar processos, a fim de deixá-los mais ágeis e rápidos, incrementando as taxas de sucesso. Ao passo que o consumidor esta cada vez mais exigente com padrões de qualidade. Não somente do produto, como de toda a jornada de compra.


          Novas formas de pagamento imediato, além do cartão de crédito, começam a ser inseridas em sites e aplicativos, como exemplo temos o PIX.


          As compras online agora não mais são restritas ao B2C, o B2B começa a trilhar seu caminho para o mundo online. Da mesma forma que o online evoluí do conceito omnichannel para anywhere channel. Como resultado, alcançando um público mais elevado, tanto de representantes quanto de consumidores finais.


          Nesse ínterim, novas formas de armazenamento, envio e coleta, ou seja, logística, surgem como um desafio para aumentar a eficiência e satisfação do e-commerce. Assim como os cuidados sanitários oriundos da pandemia continuarão, tanto para o cuidado e saúde dos colaboradores como para os consumidores finais.


          Em conclusão, o mundo online será o novo alvo para muitas empresas, sendo assim, novos esforços serão colocados com mais empenho para o marketing, ao passo que serão diversas as opções para os consumidores.



Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Outras Postagens

PCD: Inclusão no mercado detrabalho da logística

          A inclusão social é um debate que vem sendo cada dia mais colocado no centro das organizações, principalmente sobre a inclusão de pessoas com deficiência. O que muitas corporações enxergavam como sendo somente o cumprimento da legislação brasileira, vem mudando.

A Importância da leitura para crianças

          A infância é uma fase determinante no desenvolvimento de um indivíduo, é quando construímos nossos gostos, iniciamos nossos repertórios de referências e definimos grande parte da nossa personalidade. É exatamente por estar “em construção” que a criança vê o mundo de

Diversidade no Ambiente de Trabalho

          Com a transformação digital e novas tendências mundiais, é indispensável a existência de ambientes de trabalho que priorizem a diversidade e a inclusão. Sempre falamos sobre a importância da diversidade e como ela faz parte dos nossos princípios e pilares.